Tag: adulteração/
-------- PUBLICIDADE --------
Mundo Animal Barra venc dia 04



23 de outubro de 2020
Bahia

‘Operação Carbono’ combate adulteração de combustível na região de Morro do Chapéu

Foto: Divulgação

Uma força-tarefa composta pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), Polícia Civil da Bahia (PCBA), Polícia Militar da Bahia (PMBA), Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA) e Agência Nacional de Petróleo (ANP), deflagrou, nesta quarta-feira (21), a Operação Carbono 14 que fiscalizou postos de combustíveis na cidade de Morro do Chapéu. O objetivo principal da operação foi fiscalizar os estabelecimentos comerciais após denúncias de venda de combustível adulterado. Na ação também foram apuradas o cometimento de possíveis infrações administrativas. A investigação teve início após diversas reclamações de moradores da cidade que tiveram prejuízos financeiros em razão de defeitos mecânicos apresentados nos veículos logo após o abastecimento efetuados nos postos de Morro do Chapéu. Uma viatura da polícia civil, além do carro do delegado e do escrivão também apresentaram problemas como perda da capacidade de arranque e falhas de ignição. Foi constatado que os danos apresentados nos automóveis decorriam de combustível adulterado utilizado no abastecimento. Diante da situação, a força-tarefa iniciou às incursões e as equipes fiscalizaram os postos instalados no município e na rodovia estadual BA 052. Em três deles foi detectado probabilidade de adulteração. Amostras de gasolina e etanol foram coletadas e serão analisadas em laboratório para verificar se o combustível atende aos padrões exigidos pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Durante as atividades foram detectadas pela ANP irregularidades administrativas e multas foram aplicadas aos responsáveis. Os valores das multas oscilaram em torno de 35.000 reais.


22 de outubro de 2020
Bahia

PRF na Bahia participa de para desarticular organização criminosa atuante na adulteração de combustível

Foto: Divulgação PRF-BA

Na manhã de quarta-feira (21), a Polícia Rodoviária Federal participou da Operação Arinna, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado do Ministério Público do Estado de São Paulo. A operação teve por objetivo desarticular organização criminosa atuante em fraudes e adulteração de combustível, alteração do ARLA32 (agente redutor líquido automotivo), além de realizar importações irregulares do produto nafta, sonegando mais de 538 milhões de reais em tributos federais. Ao todo, foram cumpridos quinze mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão, nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Tocantins, Rondônia e Rio Grande do Sul. A organização criminosa, especializada na adulteração de combustíveis e do composto ARLA 32, reagente utilizado para garantir maior eficiência na redução dos poluentes nos motores a diesel (óxidos de nitrogênio – NOx). De acordo com Código de Trânsito Brasileiro, a alteração deste composto enseja infração grave,  além de retenção do veículo para regularização. Ainda, de acordo com o Ministério Público, durante a investigação do esquema criminoso, observou-se que o grupo fabricava o ARLA32 utilizando-se, irregularmente, de ureia destinada à fabricação de adubos e fertilizantes. Esta mistura, além de causar mais danos ao meio ambiente pode danificar o motor do veículo. Também foi verificado que a organização criminosa importa irregularmente nafta (produto incolor extraído do petróleo e matéria-prima básica para a produção de plástico), sob a justificativa de que o produto seria destinado à fabricação de tintas e vernizes. Porém, as investigações indicaram que esse insumo era misturado à gasolina no processo de adulteração.